Não Desista de Si Mesmo

Resultado de imagem para Não Desista de Si Mesmo

Você pode ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não se esqueça de que sua vida é a maior empresa do mundo.  E você pode evitar que ela vá a falência.  Há muitas pessoas que precisam, admiram e torcem por você.

Gostaria que você sempre se lembrasse de que ser feliz não é ter um céu sem tempestade, caminhos sem acidentes, trabalhos sem fadigas, relacionamentos sem desilusões.

Ser feliz é encontrar força no perdão, esperança nas batalhas, segurança no palco do medo, amor nos desencontros.

Ser feliz não é apenas valorizar o sorriso, mas refletir sobre a tristeza.  Não é apenas comemorar o sucesso, mas aprender lições nos fracassos.  Não é apenas ter júbilo nos aplausos, mas encontrar alegria no anonimato. Continuar lendo

Reflexões

image

A primeira condição para ser feliz é saber sofrer. A segunda é crer firmemente na próxima finalização do sofrimento, visto como se trata duma situação anormal, portanto passageira. A terceira é não reter o sofrimento quando a hora de sofrer passou.

Jesus disse: “De vosso interior manarão rios de água viva.”

Quem beber da água que eu lhe der, nunca mais terá sede; essa água se transformará, em seu interior, numa fonte manando para a vida eterna.”

O homem bom, do tesouro de seu coração tira constantemente coisas boas.”

Tudo que sai da boca vem do coração.” Continuar lendo

Realmente Acredito!


Que nunca é tarde para amar.
Que o tempo apaga as mágoas e mal entendidos!
Sempre é possivel a reconciliação e o entendimento.
Se o amor foi de fato intenso e verdadeiro.
Se marcou o corpo e o espírito.
Então o nunca mais não existe!
Os ciclos da vida existem para isso.
Quando um ciclo termina;
outro recomeça
Podendo ser vivido com o antigo amor.
Porque não?
O impedimento vem da intransigência
do orgulho e do temor;
O temor é o maior vilão da existência!
Temos que crer nas mudanças do ser amado.
De nada adianta vivermos de antigas lembranças.
Mesmo que essas por instantes aqueçam o coração.
Temos que enfrentar cara à cara aquela paixão!
Pedras e espinhos no caminho
não podem ser encaradas como perdas!
São enviadas pelo Pai para nosso crescimento.
Imaginar o pior é comodismo.
Encarar o desconhecido é coragem.
Sem ele entretanto a felicidade não virá!
Sou guerreira e a vida já me ensinou.
Que apagar o passado e apostar no presente
Lutando sempre por desafios maiores
É a escolha mais sábia e inteligente!
“É melhor arriscar e perder
do que nunca saber o que aconteceria
se tivesse tentado”.

Autor (a): Lily Marlene
Rio de Janeiro, 14/01/2009

Amor, Exaltação a Vida


As folhas farfalham sob as brisas as secas se soltam e bailam pelo ar se deitam formando um leito macio

chão de paixões.


As flores mais exalam seu perfume nas noites mais escuras. Exibem suas mais exuberante cores
no mais forte sol do verão…Jardins dos amores.

A lua mais brilha, mais insinua quando toda aquecida pelo sol. Com uma luz tão encantadora que ofusca muitas estrelas.

O amor mais se revela sob o fogo das paixões
Paraíso em vida dos corações nos encantos da emoções e sensações.

Meu corpo tem mais viço com sua presença.
Vibra com seus carinhos e caricias que dão sentido a minha vida.

Amar é a vida exaltar que se entusiasma com a Paixão.
Concilia razão e emoção.
Enaltece a beleza da Criação.

Viver, é amar e ser amado
Por voce, meu doce e único amor…

Definição de Amor

Sorte é quando a competência encontra com a oportunidade. Ousadia é quando a coragem diz para o coração: Vá! e ele vai mesmo. Lealdade é uma qualidade dos cachorros, que nem todo ser humano consegue ter. Decepção é quando você risca em algo ou em alguém um xis preto ou vermelho. Indiferença é quando os minutos não se interessam por nada especialmente. Certeza é quando a idéia cansa de procurar e para. Desilusão é quando anoitece em você, contra a vontade do dia. Desatino é um desataque de prudência. Alegria é um bloco de Carnaval que não liga se não é Fevereiro. Razão é quando o cuidado aproveita que a emoção está dormindo e assume o mandato. Prudência é um buraco de fechadura na porta do tempo. Lucidez é um acesso de loucura ao contrário. Pressentimento é quando passa em você um trailer de um filme que pode ser que nem exista. Intuição é quando seu coração dá um pulinho no futuro e volta rápido. Vontade é um desejo que cisma que você é a casa dele. Culpa é quando você cisma que podia ter feito diferente, mas, geralmente, não podia. Raiva é quando o cachorro que mora em você mostra os dentes. Perdão é quando o Natal acontece em Maio, por exemplo. Renúncia é um não que não queria ser.Vaidade é ter um espelho onisciente, onipotente e onipresente.Amigos são anjos que nos levantam quando nossas asas estão machucadas. Felicidade é um agora que não tem pressa nenhuma. Sorriso é a manifestação dos lábios quando os olhos encontram o que o coração procura. Desculpa é uma palavra que pretende ser um beijo. Beijo é um procedimento inteligentemente desenvolvido para a interrupção mútua da fala quando as palavras tornam-se desnecessárias. Amor é quando a paixão não tem outro compromisso marcado. Não. Amor é um exagero… também não. É um cuidar de… Talvez, uma batelada de carinho! Quem sabe, um exame, um dilúvio, um mundaréu, uma insanidade, um destempero, um despropósito, um descontrole, uma necessidade, um desapego? Enfim, se não tivesse sentido… Talvez porque não houvesse explicação?

Bem, esse negócio de amor não sei definir.

Amor é tudo de bom!!!!


Versos Tristes

Nesse langor que me encontro

Triste desalento

Tomando os dias meus

Me arrisco no rabisco

De versos tristes

Que possam me aliviar.

Lágrimas insistem em marejar

Amargura doída

Que aperta por vezes

Esse meu coração

Lutador perseverante

Nessa coisa contorcida

Que me espreme por dentro

Nessa saudade profunda

Louca vontade esquecida

Num canto qualquer de mim.

Ah! Amor que se foi

Prometendo voltar!

Que me deixou nesse tormento

Mortificado por dentro

Nessa louca vontade de chorar.

Respiro profundamente

Descanso a caneta num canto qualquer

Fecho os olhos agora

Onde estás?!

Me deixaste apenas as palavras

Rabiscos vazios e frios…

Só isso me resta

Versos amargos e doloridos

Implorando pra você voltar.

Neste momento em que me encontro

com olhos marejados,

só as lágrimas compõem meus versos

Versos tristes, poesia arrancada

da alma

Dor e saudade

Isso que sai do meu coração.

No papel as letras teimam em

escorrer como na minha face

Molham meu rosto,invadem meu corpo

Derramo as incertezas de um futuro

As lembranças de teu amor

O desejo de te esquecer

que me angustia

cada dia mais e mais

Que me deixa amargurada

Neste desalento sem fim

Por que me deixastes?

Hoje só duvidas e incertezas

Deixas-tes um enorme vazio

e uma enorme solidão em mim

Meus versos são recheados de

dor e muita decepção,

tendo consciência que tu

nunca me amastes,

simplesmente enganastes meu

pobre coração.


Marcos Sergio T. Lopes – 26/04/2007

Eliana Duarte – 14/03/08

Um Olhar pelo meu Coração…

Vou abrir meu coração…
E ao entrares verás…
Meu coração tem de tudo um pouco…
Retalhado e cheio de cicatrizes…
Tristezas, lágrimas, dores e Ilusões…
Ora fraco ora forte… Até meio louco!
Lembranças e decepções!
Esse meu coração machucado…
Vive a sangrar…
Mas, é bem educado…
O problema é que ele não sabe amar!
Entregou-se a você sem cuidado…
E vive assim a chorar…
Mas, adiante verás um pouco de felicidade…
Estou falando a verdade…
Vês? Essa felicidade são os momentos…
Que contigo estou…
E naquele cantinho…
Olhe, resta só um pouquinho,
É um fio de esperança que restou…
É nessa esperança que tens que agarrar,
E dentro desse coração fazer teu ninho…
Vem meu anjo! Podes entrar…
Esse coração é bobinho…
Mesmo retalhado…
Sempre irá te amar…
Mesmo magoado…
Nunca irá te deixar!

KHASSANDRA GREEN
Publicado no Recanto das Letras em 16/01/2008

A Oração em Si Mesmo…



Coletânea de Pensamentos e Versos

Você faz uma prece ao levantar ou ao se deitar? Já fez uma prece a si mesmo?

Olha só:

Que eu me permita olhar, escutar e sonhar mais.

Falar menos.

Chorar menos.

Ver nos olhos de quem me vê a admiração que eles me têm e não a inveja que penso que têm.

Permitir sempre escutar aquilo que eu não tenho me permitido escutar.

Saber realizar os sonhos que nascem em mim e por mim e comigo morrem por eu não os conhecer.

Então, que eu possa viver os sonhos possíveis e os impossíveis;

Aqueles que morrem e ressuscitam:

A cada novo fruto,

A cada nova flor,

A cada novo calor,

A cada nova geada,

A cada novo dia.

Que eu possa sonhar o ar,

Sonhar o mar,

Sonhar o amar,

Sonhar o amalgamar.

Que eu possa substituir minhas palavras pelo toque, pelo sentir, pelo compreender, pelo segredo das coisas mais raras, pela oração mental (aquela que a alma cria e que só ela, ouve e só ela, responde).

Que eu saiba reproduzir na alma a imagem que entra pelos meus olhos fazendo-me parte suprema da natureza, criando-me e recriando-me a cada instante.

Que eu possa chorar menos de tristeza e mais de contentamentos.

Que meu choro não seja em vão, que em vão não sejam minhas dúvidas.

Que eu saiba perder meus caminhos, mas saiba recuperar meus destinos com dignidade.

Que eu não tenha medo de nada, principalmente de mim mesmo: que eu não tenha medo de meus medos.

Que eu adormeça toda vez que for derramar lágrimas inúteis e desperte com o coração cheio de esperanças.

Que eu faça de mim um homem sereno dentro de minha própria turbulência, sábio dentro de meus limites pequenos e inexatos, humilde diante de minhas grandezas tolas e ingênuas (que eu me mostre o quanto são pequenas minhas grandezas e o quanto é valiosa minha pequenez).

Que eu me permita ser mãe, ser pai, e, se for preciso, ser órfão.

Permita-me ensinar o pouco que sei e aprender o muito que não sei, traduzir o que os mestres ensinaram e compreender a alegria com que os simples traduzem suas experiências; respeitar incondicionalmente o ser; o ser por si só, por mais nada que possa ter além de sua essência, auxiliar a solidão de quem chegou, render-me ao motivo de quem partiu e aceitar a saudade de quem ficou.

Que eu possa amar e ser amado.

Que eu possa amar mesmo sem ser amado, fazer gentilezas quando recebo carinhos; fazer carinhos mesmo quando não recebo gentilezas.

E… que eu jamais fique só, mesmo quando eu me queira só.



O Mar



Coletânea de Pensamentos e Versos

Eu vi, Senhor, o mar sombrio e furioso investir contra os rochedos. De longe, as águas tomavam impulso.

Orgulhosas, saltavam de pé, atropelhando-se umas às outras. Cada qual querendo ser a primeira a bater na rocha.

E quando a espuma branca se desmanchava, deixando intacto o rochedo, as vagas se perfilavam de novo para outra investida.

Outro dia, vi o mar calmo e sereno.

Vinham de muito longe as ondas. Rastejavam de bruços, para não chamarem atenção.

Dando-se as mãos, deslizavam sem ruídos e se espalhavam à vontade na areia, tocando a orla com a ponta de seus lindos dedos de espuma.

Faz, Senhor, que eu evite as pancadas sem ruídos e sem objetivo. Pancadas que cansam e que magoam, sem nada construir.

Afasta de mim estas cóleras espetaculares que dão na vista, mas nos deixam inutilmente enfraquecidos.

Não permitas que eu prefira os outros, orgulhosamente, esmagando à minha passagem os que vão à frente.

Apaga do meu rosto o ar sombrio das borrascas vencedoras.

Ao contrário, Senhor, que eu sabia preencher calmante os meus dias, à semelhança do mar que recobre lentamente toda a praia.

Faz-me humilde, como o mar, quando ele avança ameno e silencioso, sem se fazer notar.

Dá-me a graça de esperar meus irmãos, medindo meus passos com os passos deles, na caminhada de cada dia.

Concede-me a perseverança triunfante das ondas.

Faz que cada um dos meus recuos seja ocasião de subida.

Que meu rosto tenha a claridade das águas límpidas. E minha alma, a brancura da espuma. Ilumina a minha vida, assim como os raios do teu sol fazem cantar o espelho das águas.

Acima de tudo, Senhor, que eu não guarde para mim esta luz. E, que todos aqueles, que de mim se aproximarem, voltem para casa ávidos de se banharem na tua graça eterna.

Que eu não rejeite regato algum, por mais insignificante que seja.

Senhor, que eu tenha um coração semelhante ao mar.

Um coração profundamente humano, mas sonhador com o infinito.

Um coração sem fronteiras, rico, imenso, acolhedor.

Um coração pleno de Deus, em constante sintonia com o Pai.

Que eu saiba conservar, ao longo da vida, a limpidez das águas profundas e a serenidade do mar alto.

E um dia possamos ancorar todos, venturosos e felizes, no porto da eternidade, junto do Pai.



A Teimosia do Meu Riacho Sonhador



Coletânea de Pensamentos e Versos Falei em partir. Falei em ficar…

Vivo sonhando com um mundo diferente…

Um mundo, onde partir e ficar fossem sinônimos. Duas palavras de peso igual. Sem um mínimo de sentimentos de culpa. Sem críticas. Sem agressões alheias. Sem julgamentos precipitados da parte de ninguém. Na espontaneidade de quem fica ou se ausenta, ao natural. Levando a paz, deixando a paz.

Você nunca sonhou com este mundo também? Um mundo cheinho de fraternidade até às bordas. Vasando fraternidade e paz por cima e por baixo, em todas as direções?

Um mundo, onde os rituais da amizade e do relacionamento brotassem desimpedidamente, sem injunções do bom senso ou da distorção de terceiros, que ficam olhando de fora, nas arquibancadas da suspeita e da malidicência. Um mundo, onde os gestos não precisassem ser medidos e o amor não reclamasse contabilidade. Onde a lei da oferta e da procura fosse supérflua. Onde a gratificação interna proviesse apenas da entrega e não do retorno.

Um mundo solidário, sem cobranças, sem vigias, sem olhos indiscretos, sem dívidas atrasadas, sem empréstimos interesseiros, sem despeitos rancorosos, sem cicatrizes, sem devoluções obrigatórias.

Um mundo de gratuidade plena, tudo puro, tudo íntegro, tudo jovial e aberto, vivido na benevolência humana, na magnanimidade de alma, sob as bênções generosas de Deus.

Um mundo de trégüas definitivas, onde o ódio, o rancor, a inimizade, a propotência, a guerra e o egoísmo estivesse mundialmente desterrados.

Um mundo de equilíbrio, consubstanciado na frase imortal de Santo Agostinho: “ Ame e faz o que quiseres “. Equilíbrio sem distorção. Equilíbrio por dentro. Equilíbrio por fora. Fruto do amor que Cristo viveu, ensinou e nos deixou, como herança sagrada.

Um mundo realmente liberto, sem palavras manietadas, sem gestos tolhidos, sem atitudes mascaradas, sem ternuras fingidas. Onde os fracos não ficassem chocados. Onde os discordantes inexistissem. Um mundo sadio, dos pés à cabeça. Sem neuróticos. Sem gente bloqueada. Sem a tristeza dos desafortunados, dos não-libertos, internamente. Um mundo onde as riquezas invisíveis do coração saltassem aos olhos, viessem à tona, inundando as praias da humanidade. Adultos e jovens, crianças e velhos, todo mundo identificando a sua vontade com a vontade do Pai.

E ficassem com a gente, morando na mesma tenda da fraternidade, os que assim decidissem, no mistério do bem-querer.

E partissem em nossa comitiva, os que desejassem nos acompanhar. E seus sonhos casassem com os nossos. Seus anseios fizessem média com os nossos.

E todos os seus problemas se apequenassem, confrontados e fundidos com os nossos problemas. E todas as suas angústias morressem afogadas, no lago tranqüilo do entendimento mútuo, da simpatia recíproca, da admiração correspondida, da esperança partilhada.

E mesmo que alguém discordasse, que não brotasse a mágoa.

E a gente ancorando em outros portos, que não houvesse saudade, inveja, ciúme, ressentimento.

Um mundo solidário, onde a receptividade não fosse tão essencial. Onde a colheita de garantias e confirmações não viesse ao caso. Onde as respostas não fossem importantes.

Tenho certeza. Certeza absoluta. Não é apenas o meu riacho que sonha com este mundo diferente.

Todos os riachos do mundo alimentam este sonho também.

Um mundo mais nosso. Mais talhado à nossa imagem, naquilo que temos todos de mais íntimo, de mais fundo e melhor.

Nas águas do meu riacho navegam frotas, veleiros, barquinhos azuis, carregados de sonhos e anseios.

Anseios de paz. Anseios de fraternidade. Anseios de ternura. Anseios de amizade. Anseios de amor.

Sem a frieza que nos congela. Sem o temor que atrofia. Um mundo de paz e alegria, cantando libertação!

Senhor, transforma em feliz realidade o sonho do meu coração!



Você tem Ideal?



Coletânea de Pensamentos e Versos

Você se pergunta o porque das dificuldades da vida.

Por que lutar?

Porque sacrificar-se?

Você diz que não entende…

Sinceramente, não sei se valeria a pena uma vida sem lutas e sem sacrifícios, completamente cor de rosa, maré mansa, acomodada, sem esforço.

A luta faz parte da vida. Parte integrante e indispensável. Para que ela possa ser realmente vivida, na realização plena de um ideal.

Por isso, questione-se.

Você tem ideal?

Qual é o seu ideal?

Reflita.

É o ideal que motiva a vida.

E para consegui-lo é necessário, esforço, luta, perseverança, obstinação.

Uma vida sem ideal seria um fracasso.

Não seria nem vida.

No máximo poderia ser água morna que provoca enjôo.

Ou água parada que cria micróbios.

Convença-se disto.

Para viver é preciso lutar.

É preciso não desanimar.

É preciso ficar firme, resoluto, intrépido, decidido, mesmo nos obstáculos que parecem os mais intransponíveis.

Fincar o pé, teimoso, mas não deixar de conseguir o ideal.

Você sabe: há ideal e ideais.

Há o ideal primeiro e os ideais secundários.

Estes, os ideais menores, são muitos e os mais variados.

São ideais que todos tem.

Muitos até os confundem com o ideal. E agarram-se a eles, sofregamente, como náufragos em tábuas ou escolhos salvadores.

Ou gastam a vida toda só em consegui-los, mas que correspondem plenamente aos anseios do coração humano.

São eles: um bem material, uma posição social, um crescimento cultural, uma profissão e tantos outros.

Nós os vamos conseguindo paulatinamente, um puxando o outro, em uma interminável corrente. Ou melhor, na corrente que só termina ou deveria terminar no ideal primeiro, absoluto, máximo. Para a consecução do qual todos os ideais concorrem, se canalizam e se unem.

Esse grande ideal é um só. E não pode ser diferente para ninguém. Pois é uma aspiração universal, que se aninha em todos os corações dos homens. Sem exceção de nenhum.

Esse ideal se chama felicidade.

Se Eu…



Coletânea de Pensamentos e Versos

Se eu não adiasse sempre para amanhã meus bons propósitos e resoluções, meu hoje seria bem mais luminoso e feliz.

Se eu aceitasse a mim mesmo e aos outros, meu ambiente se modificaria.

Se eu esquecesse um pouco os lados negativos dos fatos e fixasse mais os ângulos bons das pessoas, eu seria menos crítico e menos amargo.

Se eu não fizesse aos outros o que não desejo que me façam, haveria maior fraternidade.

Se eu não fosse tão escravo da opinião alheia e da minha vaidade, sentir-me-ia bem mais calmo e sereno.

Se eu condenasse menos e salvasse mais, haveria mais otimismo sobre a face da terra.

Se eu assumisse meus defeitos e limitações, o caminho da liberdade pessoal seria menos áspero e penoso.

Pensar positivamente e agir com decisão, realiza verdadeiros milagres de conversão.

Se eu modificasse a mim mesmo, se eu alterasse ao menos um pouco o percurso do meu riacho-vida, o mundo inteiro se modificaria…

Riacho que se converte, converte o mundo.

Em silêncio. Na humildade. Sem espalhafato. Lentamente. Devagar…Como as águas de um riacho que deslizam para o mar.